Sistema Eletrônico de Administração de Eventos Científicos, 5º SICT-SUL - Simpósio de Integração Científica e Tecnológica do Sul Catarinense

Tamanho da fonte: 
CUIDANDO PARA QUE A INFÂNCIA NÃO SEJA PERDIDA: RELATO DAS AÇÕES EXTENSIONISTAS DO GRUPO PET SAÚDE- ÁLCOOL E DROGAS, DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA, RS.
Nathalia Grams, Gabriela Nunes Siqueira, Laise Avila de Siqueira, Taiana Elise Wottrich Sperotto, Rita de Cassia Barcellos

Última alteração: 2017-04-06

Resumo


O trabalho tem como intuito relatar as experiências centradas em um diálogo extensionista entre um grupo coordenado por profissionais do CAPSi, na cidade de Santa Maria, RS, e alunos inseridos no programa PET- Saúde, Alcool e Drogas, da Universidade Federal de Santa Maria. O foco principal situa-se nas relações e processos que sustentaram um conjunto de atividades realizadas com crianças que utilizam ou já utilizaram algum tipo de substâncias lícitas, como o álcool, ou ilícitas, como os demais tipos de drogas que causam dificuldades no desenvolvimento mental e psíquico do indivíduo. Metodologicamente, utilizou-se a técnica do “estudo de caso” que caracteriza-se como uma estratégia capaz de, ao mesmo tempo, permitir a análise profunda de uma realidade específica e próxima do pesquisador, que serve como exemplo para compreender uma realidade mais complexa e distante do universo do pesquisador. Descreve-se as diversas etapas da ação, que incluiu estratégias como o levantamento de dados junto ao conselho tutelar, a formação de grupos terapêuticos, a busca ativa e o fortalecimento de vínculos. Conclui-se que o diálogo extensionista que se efetiva no âmbito das ações previstas no programa PET-Saúde, especialmente em sua interface com o CAPSi, garante a ação direta dos estudantes das diversas áreas junto à população em situação de risco social. Esta ação é de suma importância para que a Universidade consolide sua missão de consolidar o tripé do ensino, pesquisa e extensão.

Texto completo: PDF


Incluir comentário